[Livro] Lançamento na ABPMC 2017! Resenha de Diálogos em Análise do Comportamento

 

Esta resenha foi escrita pelo Professor Luiz Alexandre B. de Freitas. Luiz é graduado em Psicologia pela Universidade Federal de São João del Rei, fez Mestrado em Análise do Comportamento na Universidade Estadual de Londrina, é doutorando em Teoria e pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará e professor na Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Cuiabá. Ele é membro da Comissão de Publicações e Editorial da ABPMC (Gestão 2017-2018) e seus temas de interesse de pesquisa são Análise Aplicada do Comportamento no Transtorno do Espectro Autista e processos básicos do comportamento relacionados ao condicionamento clássico.

Boa leitura!

Continuar lendo [Livro] Lançamento na ABPMC 2017! Resenha de Diálogos em Análise do Comportamento

Anúncios

[Livro] Lançamento na ABPMC 2017! Resenha de Pesquisa Teórica em Psicologia: Aspectos Filosóficos e Metodológicos

Resultado de imagem para Pesquisa Teórica em Psicologia: Aspectos Filosóficos e Metodológicos

A resenha a seguir foi escrita pela Dra. Monalisa Leão a pedido do Boletim Contexto. Monalisa Leão é graduada em Psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – CPAR, fez Mestrado em Análise do Comportamento e Especialização em História e Filosofia da Ciência pela Universidade Estadual de Londrina, e Doutorado em Teoria e pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará, com período sanduíche na Universidade de Harvard e Fundação B. F. Skinner. Ela é Editora Associada do Boletim Operants da Fundação B. F. Skinner e dedica-se preferencialmente às questões conceituais do Behaviorismo Radical e às relações entre Análise do Comportamento e Biologia Evolutiva. Boa leitura!

Continuar lendo [Livro] Lançamento na ABPMC 2017! Resenha de Pesquisa Teórica em Psicologia: Aspectos Filosóficos e Metodológicos

[Artigo] Acompanhamento Terapêutico e Análise do Comportamento: Avanços e problemáticas nas definições deste fazer

pexels-photo-445628

Acompanhamento Terapêutico é um fazer realizado por psicólogos que costuma ser voltado ao tratamento de casos que demandem intervenções mais intensivas. O acompanhante terapêutico (AT) tem trabalhado com pessoas com transtornos psiquiátricos, dependência química, deficiência física, com dificuldades no processo de escolarização, entre outros. Diversos analistas do comportamento têm produzido sobre Acompanhamento Terapêutico e algumas definições são encontradas na literatura, mas não há uma definição operacional deste fazer. Beltramello e Kienen (2017) apresentam como a Análise do Comportamento, em especial a Programação de Ensino, pode contribuir para sistematizar e delimitar as classes de comportamento definidoras desse fazer. Continuar lendo [Artigo] Acompanhamento Terapêutico e Análise do Comportamento: Avanços e problemáticas nas definições deste fazer

[Artigo] A distinção entre comportamento eliciado e emitido ainda é necessária?

RATBOX

Em 2016, Michael Domjan publicou seu artigo “Elicited versus Emitted Behavior: Time to Abandon the Distinction”, no qual faz um apanhado histórico de livros e experimentos acerca dos condicionamentos clássico e operante, apontando a necessidade de revisarmos nossas definições com base nas evidências e análises encontradas nos últimos anos. Por meio de sua análise, vemos que as diferenças entre comportamentos emitidos e eliciados não são tão claras quanto se supunha antigamente, apesar de as concepções antigas ainda serem repetidas nos trabalhos atuais.

Continuar lendo [Artigo] A distinção entre comportamento eliciado e emitido ainda é necessária?

[Livro] A depressão como fenômeno cultural na sociedade pós-moderna. Parte 1: um ensaio analítico comportamental dos nossos tempos

15055681_1168624306508213_4718898363728299314_n

A resenha a seguir foi escrita pelo Professor Renato Almeida Molina a convite do Boletim Contexto. Renato Molina é mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Psicólogo na SEJUDH – Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado de Mato Grosso e Psicólogo Clínico.

A obra é distribuída gratuitamente e pode ser baixada aqui.

Continuar lendo [Livro] A depressão como fenômeno cultural na sociedade pós-moderna. Parte 1: um ensaio analítico comportamental dos nossos tempos

[Artigo] (Im)posturas jornalísticas: incompreensões da revista Veja sobre B. F. Skinner

Typewriter Business Antique Journalism Vintage

A Análise do Comportamento e o Behaviorismo Radical foram e continuam sendo objetos de críticas infundadas e incompreensões, tanto na comunidade acadêmica de Psicologia quanto pelo público em geral. Analistas do comportamento recorrentemente realizam pesquisas para averiguar tais críticas e incompreensões e demonstram o esforço da comunidade analítico-comportamental em desmistificar os enganos e desacordos fundados em má compreensão que se veiculam em diversos ambientes. Tais incompreensões ou (im)posturas são encontradas inclusive em livros didáticos das áreas de Educação e Psicologia (Gioia, 2001; Rodrigues, 2005) e contribuem para construir barreiras para difusão da ciência do comportamento e suas tecnologias (Miraldo, 1985).

Continuar lendo [Artigo] (Im)posturas jornalísticas: incompreensões da revista Veja sobre B. F. Skinner

[Artigo] A fundação do JEAB e o isolamento histórico da Análise do Comportamento

pdf

Foi criado, em 1957, o primeiro periódico especializado da Análise do Comportamento, o Journal of Experimental Analysis of Behavior (JEAB). Sua criação denota um cenário de expansão institucional e científica da área, mas também um episódio representativo do isolamento da Análise do Comportamento na comunidade científica. É com o objetivo de fazer um exame histórico da expansão da Análise do Comportamento, evidenciado pela criação do periódico, relacionando-o ao isolamento da área que Cruz (2016) traz parte de sua tese de doutorado no artigo A Fundação do JEAB e o Isolamento Histórico da Análise do Comportamento. Continuar lendo [Artigo] A fundação do JEAB e o isolamento histórico da Análise do Comportamento

[Artigo] Expressando valores na clínica analítico-comportamental

Na Análise do Comportamento, discussões sobre o papel dos valores têm se dividido entre sua inserção no sistema ético skinneriano e no contexto clínico. Dentro do segundo grupo, Assaz et al. (2016) fazem um apanhado teórico sobre a temática e suas implicações em contextos clínicos. Continuar lendo [Artigo] Expressando valores na clínica analítico-comportamental

[Artigo] Serendipidade, metacontingência e práticas supersticiosas

Experimentos são planejados de modo a evidenciar relações de dependência entre eventos, sendo que tais relações costumam ser minimamente previstas por quem produz a pesquisa. No entanto, como “a ciência é um processo contínuo e, muitas vezes, desordenado e acidental” (Skinner, 1972/1956, citado por Caldas e Andery, 2016), os procedimentos eventualmente levam a descobertas e indícios para além do objetivo principal da pesquisa, levando a achados ao acaso. A esse fenômeno é dado o nome serendipidade.  É com o objetivo de apresentar um estudo com achados imprevistos que Caldas e Andery (2016) apresentam dados e discutem práticas supersticiosas em Investigação Experimental em Metacontingências e Práticas Supersticiosas: um caminho para estudos mais complexos. Continuar lendo [Artigo] Serendipidade, metacontingência e práticas supersticiosas

[Artigo] Efeitos de consequências culturais no autocontrole ético

Publicado online na revista The Psychological Record, o artigo Effects of cultural consequences on the interlocking behavioral contingencies of ethical self-control, de Aécio Borba, Emmanuel Tourinho e Sigrid Glenn, traz um experimento com universitários acerca de como as consequências culturais podem influenciar diante da escolha entre comportamentos concorrentes de benefício individual a curto prazo ou benéficos para a sociedade a longo prazo, sendo a escolha da última opção caracterizada como um exemplo de “autocontrole ético” (ethical self-control). Continuar lendo [Artigo] Efeitos de consequências culturais no autocontrole ético