[Artigo] A distinção entre comportamento eliciado e emitido ainda é necessária?

RATBOX

Em 2016, Michael Domjan publicou seu artigo “Elicited versus Emitted Behavior: Time to Abandon the Distinction”, no qual faz um apanhado histórico de livros e experimentos acerca dos condicionamentos clássico e operante, apontando a necessidade de revisarmos nossas definições com base nas evidências e análises encontradas nos últimos anos. Por meio de sua análise, vemos que as diferenças entre comportamentos emitidos e eliciados não são tão claras quanto se supunha antigamente, apesar de as concepções antigas ainda serem repetidas nos trabalhos atuais.

Continuar lendo [Artigo] A distinção entre comportamento eliciado e emitido ainda é necessária?

[Livro] A depressão como fenômeno cultural na sociedade pós-moderna. Parte 1: um ensaio analítico comportamental dos nossos tempos

15055681_1168624306508213_4718898363728299314_n

A resenha a seguir foi escrita pelo Professor Renato Almeida Molina a convite do Boletim Contexto. Renato Molina é mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Psicólogo na SEJUDH – Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado de Mato Grosso e Psicólogo Clínico.

A obra é distribuída gratuitamente e pode ser baixada aqui.

Continuar lendo [Livro] A depressão como fenômeno cultural na sociedade pós-moderna. Parte 1: um ensaio analítico comportamental dos nossos tempos

[Artigo] (Im)posturas jornalísticas: incompreensões da revista Veja sobre B. F. Skinner

Typewriter Business Antique Journalism Vintage

A Análise do Comportamento e o Behaviorismo Radical foram e continuam sendo objetos de críticas infundadas e incompreensões, tanto na comunidade acadêmica de Psicologia quanto pelo público em geral. Analistas do comportamento recorrentemente realizam pesquisas para averiguar tais críticas e incompreensões e demonstram o esforço da comunidade analítico-comportamental em desmistificar os enganos e desacordos fundados em má compreensão que se veiculam em diversos ambientes. Tais incompreensões ou (im)posturas são encontradas inclusive em livros didáticos das áreas de Educação e Psicologia (Gioia, 2001; Rodrigues, 2005) e contribuem para construir barreiras para difusão da ciência do comportamento e suas tecnologias (Miraldo, 1985).

Continuar lendo [Artigo] (Im)posturas jornalísticas: incompreensões da revista Veja sobre B. F. Skinner

[Artigo] A fundação do JEAB e o isolamento histórico da Análise do Comportamento

pdf

Foi criado, em 1957, o primeiro periódico especializado da Análise do Comportamento, o Journal of Experimental Analysis of Behavior (JEAB). Sua criação denota um cenário de expansão institucional e científica da área, mas também um episódio representativo do isolamento da Análise do Comportamento na comunidade científica. É com o objetivo de fazer um exame histórico da expansão da Análise do Comportamento, evidenciado pela criação do periódico, relacionando-o ao isolamento da área que Cruz (2016) traz parte de sua tese de doutorado no artigo A Fundação do JEAB e o Isolamento Histórico da Análise do Comportamento. Continuar lendo [Artigo] A fundação do JEAB e o isolamento histórico da Análise do Comportamento

[Artigo] Expressando valores na clínica analítico-comportamental

Na Análise do Comportamento, discussões sobre o papel dos valores têm se dividido entre sua inserção no sistema ético skinneriano e no contexto clínico. Dentro do segundo grupo, Assaz et al. (2016) fazem um apanhado teórico sobre a temática e suas implicações em contextos clínicos. Continuar lendo [Artigo] Expressando valores na clínica analítico-comportamental

[Artigo] Serendipidade, metacontingência e práticas supersticiosas

Experimentos são planejados de modo a evidenciar relações de dependência entre eventos, sendo que tais relações costumam ser minimamente previstas por quem produz a pesquisa. No entanto, como “a ciência é um processo contínuo e, muitas vezes, desordenado e acidental” (Skinner, 1972/1956, citado por Caldas e Andery, 2016), os procedimentos eventualmente levam a descobertas e indícios para além do objetivo principal da pesquisa, levando a achados ao acaso. A esse fenômeno é dado o nome serendipidade.  É com o objetivo de apresentar um estudo com achados imprevistos que Caldas e Andery (2016) apresentam dados e discutem práticas supersticiosas em Investigação Experimental em Metacontingências e Práticas Supersticiosas: um caminho para estudos mais complexos. Continuar lendo [Artigo] Serendipidade, metacontingência e práticas supersticiosas

[Artigo] Efeitos de consequências culturais no autocontrole ético

Publicado online na revista The Psychological Record, o artigo Effects of cultural consequences on the interlocking behavioral contingencies of ethical self-control, de Aécio Borba, Emmanuel Tourinho e Sigrid Glenn, traz um experimento com universitários acerca de como as consequências culturais podem influenciar diante da escolha entre comportamentos concorrentes de benefício individual a curto prazo ou benéficos para a sociedade a longo prazo, sendo a escolha da última opção caracterizada como um exemplo de “autocontrole ético” (ethical self-control). Continuar lendo [Artigo] Efeitos de consequências culturais no autocontrole ético